soneto

Escuro

27 jan 2014

Quem tem medo de escuro?
A Lua cheia traz a luz
Não precisamos nos esconder
Até mesmo por ser impossível

Pra quem tem medo de escuro
A Lua cheia traz a luz
Para iluminar as noites
E nos fazer ver o que não queremos

Quem tem medo de lobisomens
Quem já viu algum?
Tem medo de escuro?

Pra quê ter medo de escuro
Se o escuro pode nos provar
Que é mesmo aquilo que tememos

-- Cárlisson Galdino

Engenho: 

A Revanche

28 out 2013

Num golpe, um divinal adeus ao oponente
Assim, pois, se faria como estava escrito
Bem mais que despedida, o golpe desferido
Traria a força do que só se vê uma vez

Mas um confronto, outro, e talvez mais que três
Trariam-lhe derrotas, mas sendo vencido
Morte não sofreria frente ao que hão dito
Aqueles que proclamam enxergar à frente

Assim foi que se fez, para que toda a gente
Pudesse vislumbrar ao fim daquele dia
A queda do mais forte e eterno temido

Mas no final da luta, um grito e um gemido
O herói que se vai quando cumpre a profecia
Pois fôra seu papel cumprido finalmente

-- Cárlisson Galdino

O Bardo e o Guerreiro

24 jun 2013

Tu te prepares, bravo camarada,
Pois encontrei um mapa de tesouro
Corre pra casa, pega tua espada
Teu escudo e corselete de couro

Que há perigo, o mapa deixa claro
Nós poderemos encontrar dragões
Mas um perigo à nossa altura é raro
Poucos alcançam nossas posições

Nós partiremos durante o crepúsculo
Creio que juntamos experiência
Mesmo com armas de poder minúsculo

Confie então em minha inteligência
Que seguirei confiando em teu músculo
E então rezemos por nossa eficiência

-- Cárlisson Galdino

Chocolates

27 mai 2013

A noite vem e assim, como quem não quer nada
O sono vaga denso, se espalha no chão
E passam arrastadas, quase sem passar
As horas torturantes quando estás distante

Mas como haver descanso, se a qualquer instante
Seu vulto indefinido e belo vai chegar?
Distante, inalcançável, quase aparição
E a noite sem sentido será transformada

Oh que desejo intenso esse de te ver
Se fecho os olhos, te vejo linda sorrir
De olhos abertos, quase te ouço falar

De quantos chocolates eu vou precisar?
Não vou fechar os olhos, não quero dormir
E ter a chance de não sonhar com você


-- Cárlisson Galdino

Paranormal

6 mai 2013

A toda noite sinto tua presença
Sei que está longe, mas isso não cala
A sua voz, que ouço quando pensa
O seu sussurro, sempre quando fala

É só fechar os olhos e uma imensa
Paz zen me vem pelas flores que exala
Que vence o espaço-tempo e nada a vença
Nem capital, blackout, pane ou bala

Me infectaste com um só olhar
O vírus grego, o vírus menino
E nada há que eu possa, pra escapar

Mas me rejeita seu beijo divino
Dá razão de viver, vida não dá
Como entender tão estranho destino?

-- Cárlisson Galdino

Sempre Faltará

29 abr 2013

Faltará sempre assunto a conhecer
Para todos os que se julgam sábios,
Para quem deixa escapar dentre os lábios:
"Domino toda a fonte do Saber".

Não tão mais perto está quem tenta crer
E com justeza, que o grã dom dos sábios
Não deseja por morada palácios
Que, com arrogância, esbanjam poder

Quem não deseja levitar na asa
Tão divina, magnífica, dourada
Dada apenas àqueles que a merecem?

Sabedoria sabe escolher casa
Não se engana com a prata ostentada
Tem pedras que bem mais que nós conhecem

-- Cárlisson Galdino

BR-Láctea

22 abr 2013

A vida na luz dos sonhos reluz
Tudo o que produz é pra si amparo
No raro momento de paz ao vento
Sem o tormento de estar em apuros

A alma com furos em pleno escuro
No muro futuro se sente segura
A esperar a volta do próprio existir
Existindo sempre pelo que há de vir

E os sonhos que sempre se mostraram sem defeito
Ao ver que nenhum deles foi satisfeito
Vê que não tem mais jeito: terá que seguir

E a estrada tão distante tão irreal
Que nos leva ao país do carnaval
Nos espera com seu asfalto negro-jasmim

-- Cárlisson Galdino

Engenho: 

Minha Montanha

15 abr 2013

Um dia pensei já me conhecer
Da minha vida eu detinha o controle
Até que do nada você chegou
Meu castelo de areia se desfez

Um dia a gente se viu e apesar
Dos contratempos, foi um dia mágico
A despedida só deixou o vazio
Só não pensei que fosse durar tanto...

Um dia pensei que minha poesia
Era uma arma de grande poder
Mas não conhecia ainda o teu sorriso

Como dormir se logo estarei longe?
Como dormir se hoje você está aqui?
Que fazer? Minha montanha é você!

-- Cárlisson Galdino

Estrela

8 abr 2013

É vosso nome a mais perfeita poesia
Que algum mortal um dia ousou recitar
Que mesmo dito em um discreto sussurrar
É bem mais perfeito que qualquer sinfonia

O vosso corpo tão perfeito desafia
A ciência humana, que não consegue explicar
Como tanta beleza pôde se juntar
Em uma humana e assim vencer a luz do dia

Vosso "não" vale mais que cem mil "sim"s das outras
Assim vosso "sim" é tão caro que é de jeito
Que canções, ouro e flores não podem pagar

Ainda pergunto se isso lhe dá o direito
De nos tratar - seus fãs - como se trata as ostras
Tirando o brilho e nos devolvendo ao mar

-- Cárlisson Galdino

Páginas