Pedra Humana Alada

31 mar 2012

”No alto de um prédio está um homem. Esquisito, muito estranhamente vestido. Com roupa em vermelho, amarelo e azul. Roupa como de borracha. Estranho? Não muito, mas eu ainda não disse que ele tinha asas.

O prédio é alto e em seu topo o Guardião mantém-se imóvel, mirando o infinito no asfalto das ruas. Não se sabe o que passa pela sua cabeça, mas ele tem asas. Isso, por si só, automaticamente já o tornaria diferente dos demais cidadãos. Como se não bastasse ainda se comporta dessa maneira. Agora está ele lá sobre o edifício, ainda imóvel. O que espera? Só ele e Deus sabem.

Super-Herói? Não zela por sua identidade, nada secreta, além do mais ainda não o vi combater crimes. Super-Vilão? Também não o vi executar um crime. O que será ele então? Um anjo? Não diria isso, não se porta como um. Não é um defensor das pessoas nem um arrogante. Talvez, se for anjo, um anjo caído que não sabe a que veio, mas acho difícil que seja. Mutante? Vamos parar de nos perguntar o que ele é, se continuarmos nisso certamente não chegaremos a lugar nenhum. É melhor olhá-lo e deixar que o tempo nos dê a resposta.

Está abaixado desde que o vi. Deve ter cerca de um metro e noventa quando de pé. Tem cabelos negros, pele branca - o que é estranho, se ele está ao sol há tanto tempo - e olhos brancos. Não aquele branco de cegueira, mas um branco quase cinza, vendo-se claramente a pupila escura no centro. Suas asas também são brancas, empenadas como as de uma ave. São asas majestosas, mas que não se movem em resposta ao vento. Ele está realmente imóvel.

O que será que ele vê com um olhar tão penetrante e ao mesmo tempo distante? Na rua há algum movimento. Uma quantidade de movimento incompatível com o tamanho da cidade, aparentemente grande. Um movimento de dia de domingo. Não há muito o que olhar nessas ruas. Há agora dois casais passando em sentidos opostos, com filhos. Há um homem em um carrinho de pipocas. Nada de tão interessante passando pelas ruas.

Sei que é de pouca importância saber quem ou o que ele é, mas não consigo afastar de mim essa curiosidade. O que estaria um ser alado fazendo ali em cima de um prédio em uma tarde de domingo? Que tipo de ser será ele? Não está simplesmente parado. Como notei há algum tempo, ele está completamente imóvel. Será um tipo andróide? Não posso dizer se sim ou se não, mas o que um andróide estaria fazendo ali? Ou melhor, quem nesse planeta tem tecnologia para fabricar um andróide? Não conheço ninguém capaz de algo tão grande, principalmente que construa um com asas de penas. Mas o que será ele?

A noite chega e ele permanece imóvel, imóvel como pedra. Apenas seus cabelos e as penas das asas balançam ao vento... Pedra? Está se mexendo? Só pode seu um gáaaaaaaaaahhh!!!”

Avalie: 
No votes yet

Comentar