14 jun 2012

Mister Chip

Submitted by bardo

Mr. Chip era um cara solitário
Que ficava horas lá com seu PC
Conhecia o mundo só pela web
Talvez nem conhecesse a própria face

Era um gênio ele na programação
E sozinho danou-se a crescer
Programava pra China e pro Japão
O melhor no que sabia fazer

E criou padrões e deixou patrões
Era um ídolo, um underground VIP
Lançamentos que arrastam multidões
Já um mito, até virou videoclip

Porém mesmo com todo esse sucesso
Ele andava inquieto noite e dia
Como se esse seu gênio fosse tanto
Que não baste o que o mundo oferecia

Procurando uma coisa que motive
Se isolou numa terra de água fria
Com um tablet, vendo o mundo branco
Escrevia a testar a maestria

Mais uns meses, a tese concluída
Sobre por as almas noutro lugar
Na internet, num mundo virtual
E o governo já quis experimentar

O processo migrava a alma viva
Pra um banco e era como matar
Não havia ainda volta conhecida
E isso o povo não iria aceitar

Procurou-se doentes terminais
E o projeto foi capa de jornal
E as pessoas ficando curiosas
É melhor que uma injeção letal?

Mais um tempo e já tinha os instrumentos
Feitos por cientistas num mesmo teto
Mr. Chip nesse tempo viajava
Palestrando, explicando seu projeto

Com o tempo, veio a preocupação
"Ainda não tenho nada de concreto!?"
Nas cobranças, o gênio retornou
Como antes, ser rápido e discreto

Os cientistas fizeram tudo errado
"Por que diabo eu deixei tudo isso aqui?"
Das palestras, ele não tirou proveito
Eram sempre tão poucos para ouvir...

Retomou então o tempo perdido
Tão veloz que até o cronograma antigo
Já estourado por outros cientistas
Antes do Dia D foi corrigido

No dia D, na exata hora marcada
A impressa filmou o prometido
A experiência foi feita finalmente
Enfim vinha o teste definitivo

Muitos olhos acompanhando atentos
Todo o mundo curioso co'aquilo
E depois do teste a grande baderna
E a cobaia, ninguém podia ouví-lo

Joaquim, um paciente terminal
Um sorriso num terminal mostrava
Transformado em programa, em VR
Do outro mundo ele se comunicava

"Cá é bom, mas me sinto meio estranho
Mas já foi a dor que me incomodava
Estou leve e pensando mais veloz
Eu, doutor, nem sabia o que era Java!"

A conquista virou a sensação
Discutida por todos pelas ruas
Na Internet, entraram dessa forma
Uns milhares, numa semana ou duas

Anos passam, e o gênio acompanha
Nova lei sendo vista no Senado
Pois com tempo, essa tecnologia
Já era algo bastante mais barato

Desse jeito, essa lei em andamento
Garantia o direito pelo Estado
Contra a Morte, a vitória finalmente
Ninguém morre: só é digitalizado

O projeto de lei foi aprovado
Transformando o mundo naquela hora
Numa década, creia se quiser
Tinha mais gente n'web do que fora

Entre livros e muitas homenagens
Prêmio Nobel, canções, cinema e tal
Mr. Chip ia ficando mais velho
Como no ser humano é natural

Finalmente, sentiu chegada a hora
De dar tchau para toda essa gente
Para que sua grande criação
Fosse útil ao criador finalmente

Empolgado, ele já esperava
Toda a vida esperou esse momento
Finalmente havia chegada a hora
E o doutor aciona o equipamento

"Mr. Chip, cara, cadê você?"
Ele ouve e não sabe o que dizer
Sem saber onde está, como chegou
Mas já pode ver bem o monitor

A falar tudo o que ele não diz
Vê a imagem como num sonho mal
Quem diria, o processo grandioso
Deu ao gênio um clone digital!

-- Cárlisson Galdino

AnexoTamanho
mr-chip.pdf198.89 KB
Special: 
Avalie: 
No votes yet

Comentar