Viagem de Hector

Chega uma época da vida em que você precisa tomar uma atitude. Soltar-se das amarras dos pais e tentar viver a vida de maneira independente. É uma necessidade comum, que vai crescendo conforme nos afastamos da adolescência e entramos na idade adulta. Hector, no entanto, já tinha passado bastante da adolescência. Hector já tinha seu PhD em Astrofísica. E já tinha seus 35 anos...

Ele queria ser independente. Não que quisesse de fato, como um desejo interior, mas ele queria querer. Ficava cada vez mais desconfortável para ele viver com os pais e ter amigos. Por mais que respeitassem sua "patente acadêmica", ele sentia a cobrança social: "liberte-se!" E foi tentando atendê-la que ele resolveu sair naquela noite. Pois é, ainda não sabia como iria fazer para morar sozinho, mas pensou: "Bem, uma festa talvez seja mesmo um bom começo". E por isso, logo ele estava ali.

- Oi?

Hector se vira lentamente, tentando imaginar quem iria querer ir pra varanda falar com ele. Tentando identificar a voz de algum colega, conclui que deve ser um garçon. Só que não.

- Oi.

Era um rapaz novo, pelo menos com cara de estudante ainda.

- Você... Conheço de algum lugar... Você não ensina na Unirc?

Sem jeito, Hector tem que admitir: "É, sim..."

- Haha! Eu sabia! Estudei com você faz... Uns 3 ou 4 anos.

- Que curso?

- Física.

"Três ou quatro anos... Já deve estar no mestrado a essa altura."

- E aí? O que anda pesquisando?

- Eu? Só no Google mesmo! Haha! Não, é que tranquei, tá ligado? Não voltei mais.

- Por quê?

- Na verdade eu não queria nem fazer faculdade, mas meu velho insistiu muito. Por isso fiz pra Física.

- Mas será que tem como voltar? É muito importante você ter uma carreira, para o seu futuro e...

- Na boa, professor. Eu escolhi Física porque sabia que é a mó parada inútil. O bom é que o meu velho se convenceu que não tinha futuro mesmo e deixou essa história de faculdade pra lá.

- Mas você faz o quê da vida?

- Professor, vou lá que as gata que eu trouxe tão me esperando, senão terminam pegandou outro. Valeu.

- Prazer te... ver...

Só com o rapaz indo embora é que Hector percebe como ele está vestido. Roupa nova e, bem, ele não sabe mensurar, mas parecem de grife. De playboy, pelo menos.

Ele vê o ex-aluno saindo (e só então lembra que não perguntou seu nome) e percebe que não é capaz de classificar aquela música que está tocando. Seria um Funk? Um Rock? Um Dance? É uma barulheira estranha, de batidas insistentes e letra cantada da melhor maneira para você não entender nada.

Ele entra à procura de mais alguma coisa para beber - algo leve pra quem não tem costume - e de alguém conhecido. Qualquer pessoa, mas...

Senta-se desanimado no sofá.

"Que vida a minha... O que foi que eu fiz todo esse tempo? Nada! Esse esforço todo que venho fazendo e nada! Olha só, não tem ninguém aqui que eu conheça! Isso tudo está muito errado! Não era pra ser assim."

Com uma força surgida não sabe de onde, ele se levanta decidido.

"E não vai ser mais assim! Vou pra casa agora que eu tenho muita coisa pra fazer! Acho que essa história de morar sozinho pode esperar, pelo menos até o fim do ano letivo..."

Software Livre: uma Boa e uma Má notícia

A má notícia é que houve uma reviravolta no processo movido pela Oracle contra o Google por conta do Java. Aquele processo que acusava o Google de quebrar o padrão do Java ao fazer o Android com uma variante da linguagem. Não sei detalhes da peleja, mas até onde pude ver, parece que estão apelando para a proteção do Copyright de algo que havia sido licenciado sob licença livre. Google havia ganho, mas um juiz reverteu a favor da Oracle, dizendo que a API devia ter sido respeitada. Isso é péssimo, não apenas para o Android e o Google, mas por criar um precedente perigoso para o mundo do Software Livre.

Bem, a boa notícia é que o FISL terminou (calma! Isso não é a boa notícia em si. É uma pena eu não ter ido esse ano, de novo), mas os vídeos das palestras estão disponíveis na página de Programação do evento! Tudo em Ogg Theora e que você pode baixar. Uma boa forma de baixar é com o JDownloader, que é capaz de rastrear os links nas páginas e encontrar os arquivos de vídeo. JDownloader é feito em Java, só pra não fugir muito do tema inicial...

Ah, sim, tem o grande Anahuac também. Ele continua colhendo ódio de pessoas que não enxergam a armadilha em que caíram. "Eu não mudei, as 4 liberdades não mudaram, o conceito filosófico do Software Livre não mudou. Quem mudou foram “vocês”, usuários de Softwares Proprietários e redes sociais devassas e serviços cloud privativos, que tem a cara de pau de se definirem como ativistas Software Livre!" Confira o restante lá no blog dele.

Foto obitda do Wikimedia com ajuda do pato.

Recado ao Cidadão Comum

Preste atenção ao seu redor: o que cê faz?
A vida pulsa em cada canto, a Terra grita
É tanta coisa que precisava ser dita...
E foi, e tanto! Mas você não percebeu...

Às vezes tenho dó do pobre Prometeu
O fogo deu ao homem, dos deuses roubado
E você permanece assim, alienado
Sem hoje ou amanhã e sem olhar pra trás...

Qualquer TV escrota vai te controlar
Qualquer revista falsa, qualquer líder rude
Enquanto renegares saber e atitude

Veja esses versos... É favor não reclamar
Mantenho o ritmo e se a rima te distrái
Talvez já seja tempo de você ler mais


-- Cárlisson Galdino

Splitplay

Splitplay

Quem acompanha o mundo dos jogos eletrônicos sabe como os jogos independentes cresceram nos últimos anos. A produção de jogos indepentes continua em alta por todo canto, inclusive no Brasil.

Mas há um problema recorrente por aqui: a dificuldade de expor e comercializar jogos independentes brasileiros. Para resolver esse problema, uma turma criou o Splitplay, que ainda não está funcionando, mas promete muito. Fiquem de olho!

Soube deles através do Game Blast.

Special: 

Cavaleiros do Zodíaco: Lost Canvas

Ainda lembro bem que estava passando uns dias na casa de uns tios em Maceió quando vi na TV a propaganda anunciando a nova atração da Manchete: Cavaleiros do Zodíaco.

Ansioso esperei a estreia, já em casa, com meu irmão.

Foram muitas aventuras e, mesmo com os resets constantes da Manchete, ao término de cada temporada, ainda assim Cavaleiros do Zodíaco deixou boas recordações.

Fiquei surpreso quando vi no Netflix Cavaleiros do Zodíaco: Lost Canvas. Não sabia que a história havia continuado. Bem, não exatamente.

Lost Canvas mostra os cavaleiros em uma guerra santa contra Hades. Mas não os mesmos cavaleiros sem cavalo a que estávamos acostumados. A história se passa há alguns séculos e todo o time é outro.

Apesar de não ter assistido ainda à segunda temporada, a primeira empolga bastante. É especialmente interessante ver como lutam cavaleiros de ouro quando a coisa é séria. Todos são excelentes! Vejo Lost Canvas como a história dos Cavaleiros de Atena sendo recontada, usando toda a experiência da primeira tentativa para fazer uma nova história ainda melhor, com grandes combates e mais enxuta, já que cada uma das 2 temporadas tem apenas 13 episódios.

Bem, é isso. Deixo a dica para quem tiver procurando algo legal para assistir.

Special: 

Educação a Distância e os Tutores

Educação

Texto escrito como atividade em treinamento para tutores da EAD UFAL/UAB.

O ensino tradicional traz dois elementos: professor e aluno. O processo de aprendizado se dá com o conhecimento sendo passado pelo professor ao aluno. Vem sendo assim por décadas (e até séculos). A área educacional prática é muito criticada por refletir muito pouco avanço em relação a outras áreas do conhecimento humano. Enquanto a Medicina traz sempre inovações, o Jornalismo e assim por diante, a Educação continua sendo feita da mesma forma que há muitos anos, fazendo pouco uso dos avanços tecnológicos.
 

Uma das exceções à regra é o Ensino a Distância, que vem se firmando e se mostrando um dos poucos avanços tecnológicos na Educação a refletir no dia a dia das pessoas. Com ele, muda-se muita coisa além da própria “distância”. O aluno passa a ter um papel mais ativo no processo de aprendizado. Como a relação entre professor e aluno não é mais o mesmo “streaming”, há muito mais trabalho para o professor do que simplesmente preparar plano de aula, provas e correções. Agora além de falar ele precisa ouvir mais. O “feedback” não podem ser somente as provas. Com tanto trabalho novo nessa modalidade de ensino, aumentando consideravelmente o “esforço por aluno” do professor, alguma coisa tem que ser mudada.

Ideal seria talvez o aumento do número dos professores nas instituições de ensino, criando um verdadeiro exército para dar conta da demanda. Acontece que a medida não é tão simples, além de trazer seus próprios efeitos colaterais. Então veio a alternativa: transformar o professor em uma equipe. Ao invés de haver apenas o professor como papel institucional perante o aluno que estuda, cria-se um grupo ao seu redor, envolvendo peças auxiliares tanto no acompanhamento online quanto no acompanhamento presencial. Estes são os tutores.

--Cárlisson Galdino

Imagem do post: Education, de netalloy.

Special: 

Agenda Mundial parada

Já dei pistas por aqui de que o tempo anda muito corrido, tanto é que as atualizações do Bardo WS estavam escassas como nunca antes (ou talvez quase como na época pré-Jasmim).

Hoje venho aqui falar que de fato a realidade continua, ao menos por enquanto, igual. Assim, declaro oficialmente que a Agenda Mundial se encontra engavetada, junto  com Sinas, Redblade e Warning Zone. Pretendo concluir as quatro histórias algum dia, mas por enquanto ficam assim.

Outra resolução é que, mesmo sem a Agenda Mundial, pretendo voltar a publicar ao menos uma vez por semana.

Para concluir, espero que tenham gostado do novo tema adotado pelo Bardo WS. E bom fim de semana!

Páginas