19 dez 2009

Escarlate #39 - Eve

Submitted by bardo

Em meio à escuridão é como se o corpo de Zand estivesse anestesiado. Por um momento sente apenas a consciência. E percebe claramente, mesmo sem ver ou ouvir, a presença de várias pessoas o observando nessa escuridão.

“O que você procura, aventureiro?”

É uma voz feminina autoritária e não é difícil deduzir que é de Eve. Uma voz que Zand ouve ecoar dentro de sua própria cabeça.

- Procuro ajuda em uma missão.

- Que tipo de missão?

- Vamos à caça de um dragão vermelho.

- Você não me engana, aventureiro. Sua coragem e sua presença não são fracas, mas seu coração bateu mais forte ao falar de tal dragão. O que você pretende com isso?

Zand não fala por um momento, até que responde Eve.

- Primeiro, preciso salvar uma mulher. E a única forma de ela viver em paz é sem a presença desse dragão.

- Dragões têm muito orgulho e qualquer coisa que queiram fazer é mais importante do que perseguir uma pessoa qualquer, aventureiro. O que essa mulher fez para merecer tal atenção?

- O grupo dela saqueou o dragão.

- E o que o grupo dela tem a ver com você, aventureiro?

- Hoje eu faço parte do grupo dela.

- Entendo... E o que espera de mim?

- Gostaria do seu apoio nessa difícil missão.

- Sinto que é mesmo uma missão difícil para você. Você tem talento ao tentar transmitir segurança, mas algo em você denuncia que ainda não está certo de que é mesmo esse o caminho que quer seguir.

- De qualquer forma eu já fiz minha escolha.

- E eu também: irei contigo. Mas tenha cuidado, eis o primeiro conselho que te dou. Não se confia em ladrões...

Quando Zand ressurgiu daquelas trevas trazendo uma espada azulada com a inscrição “E-64”, Halkond e Azkelph estavam sentados encostados na parede, e Rubi foi quem primeiro o viu, saltando em seus braços.

- Demorou tanto!

- Eu disse que voltaria.

Zand sabia que a Eve-64 não era uma espada mágica qualquer. Sabia que para conseguir utilizá-la precisaria lidar com o ego e o orgulho de Eve. Caso a levassse sem o consentimento de Eve, tudo poderia terminar mal. Felizmente, soube conduzir tudo e Eve está no grupo. Mesmo na forma de uma espada, Eve estava como mais um membro do grupo, por escolha própria.

Talvez por ser bardo, já que bardos têm uma sensibilidade especial para conhecimentos históricos e lendas, às vezes pegando as coisas em pleno ar... Talvez por qualquer outra razão misteriosa, mas no momento em que empunhou a espada formou-se um forte elo entre Zand e Eve. E Zand passou a saber de muitas coisas: confirmação de alguns conhecimentos históricos, alteração de outros. Soube que a Eve-64 também tem uma maldição: se ficar parada muitos dias, atrai criaturas mortas e de planos espirituais. Nada muito grave, porém. E que Eve, como guerreira, já matou um dragão vermelho antes.

E o grupo continuou sua jornada de volta de Surdi.

Avalie: 
No votes yet

Comentar