12 jun 2010

Escarlate II #06 - Uma Nova Missão

Submitted by bardo

“A Magestade Gyo I convoca homens de coragem e competência a se alistar para missão de importante repercussão para todo o reino. Haverá grata recompensa e oportunidades. Interessados procurem a guarita sudoeste do palácio.”

Zand olha com atenção o cartaz, então volta ao balcão.

“Parece mesmo uma boa. Rubi pode estar lá dentro e essa será uma grande oportunidade de procurar no castelo... Além do mais, a missão pode até mesmo ter a ver com ela.”

“Não se iluda tão fácil...”

“Mesmo que não tenha a ver com ela, é uma boa. Nem que seja para me dar recursos para continuar a missão.”

“Nisso concordo.”

“Então vamos lá agora mesmo.”

- Garçom? A conta!


 

- Bom dia, senhor. Veio se alistar?

- Uma missão que foi divulgada na Praia.

- Sim, certo. - O guarda sentado no balcão no típico uniforme salmão e vermelho do reino de Wimow analisa atentamente Zand.

- Vamos fazer o seguinte, senhor...

- Tzarend.

- Ok, senhor Tzarend de quê?

- Só Tzarend. Basta.

- Tudo bem, senhor Tzarend. Siga por esse corredor e entre na porta vermelha. Lá o senhor encontrará o general Plórius. Ele te atenderá e explicará os detalhes da missão.

Zand se vira e segue na direção indicada. Não é difícil encontrar a tal porta, que está entreaberta quando ele chega. Ao entrar, vê um homem forte com cabelos ruivos curtos e o mesmo uniforme salmão e vermelho, com a marca da patente em seu ombro direito. Está de costas no balcão, mas logo que nota a chegada de alguém, ele se vira com um sorriso no rosto.

- Bom dia! General Plórius às suas ordens!

- Bom dia. Sou Tzarend e vim pelo anúncio na Praia.

- Pois não, senhor Tzarend. Sente-se! - Com as mãos postas atrás e o peito inflado, o general caminha até a janela pensativo, então se vira para Zand, que acabara de se sentar onde o sargento indicara. - Qual a sua experiência em combates?

- Sou aventureiro há muitos anos. - Enquanto Zand fala, o general se aproxima do balcão e pega um papel e uma pena, para começar a escrever. - Fui treinado pelo mestre Willen, mas mesmo antes disso já participei de várias missões.

- Pode relatar alguma?

- Participei do resgate de...

- Espere. - O general se debruça sobre a mesa com ar de espanto. - São escamas de dragão?

- Sim, são.

- Quem fez?

- Eu mesmo, com...

- Esquece. - O general amassa o papel e joga fora, largando a pena para o lado. - Vamos ao que interessa então. Há um grupo de criaturas perversas perto de Ekriot. Conhece Ekriot? Aqui pertinho! Bem, um grupo daquele reino sombrio que você bem conhece está instalado lá, conforme espiões nossos relataram. O que precisamos é de um grupo de aventureiros que vá lá no endereço que passaremos e confira se é verdade. Se for, que aniquilem todos. Queremos um grupo de cinco pessoas e temos 25.000 pados a oferecer para o grupo, além de reconhecimento pelos serviços prestados à coroa. Sabe bem como essa segunda parte da recompensa é até mais importante que a primeira, não é?

- Ok, tenho interesse na missão.

- Ótimo! Então está fechado e...

- Bom dia! General Plórius? - os dois olham para a porta e veem alguns aventureiros parados. Zand reconhece como o grupo exato que estava na Praia.

- Viemos por um anúncio de missão. - Um dos magos (o que era mais tagarela no bar) fala.

- Sinto muito, meus jovens... O contrato foi fechado com o grupo deste nobre.

O grupo olha com estranheza para Zand em seu manto desgastado.

- Acontece que não tenho grupo. - Zand se levanta. - Eu trabalho sozinho.

- Ah, nesse caso... - o sargento dá uns passos. - Nesse caso acho que terão que ir juntos. É norma do nosso reino contratar equipes quando temos missões a cumprir, e não uma pessoa só.

- É? Phioz, que acha? - O mago pergunta a alguém que estava mais atrás, e ele aparece na porta de olhos fechados. Com roupas claras e um ar que todos que conhecem seu tipo o classificariam automaticamente e sem erro: um paladino.

- Tudo bem. Podemos nos juntar nesta missão.

- Ótimo! Então está tudo resolvido! - o general esfrega as mãos e se senta ao seu birô. - Senhor Tzarend? Vamos então acertar...

- E os valores? - O mago interrompe.

- 25.000 pados para o grupo inteiro e vocês dividem aí.

- Vinte... e cinco... - O mago fica pensativo, olhando os colegas de equipe.

- Senhor Tzarend? Sente-se! Vamos acertar os detalhes da missão.

Avalie: 
No votes yet

Comentar