31 jul 2010

Escarlate II #13 - É o Barco mais Ligeiro

Submitted by bardo

Todos na cabine. Um barril de rum à vontade. É a forma da Diabo M comemorar uma nova missão. É a primeira noite em mar e já deixaram claro que não tem festa toda noite não... Zand bebe também, mas apenas observa.

Já notou como o tal Been é viciado em jogos: já está ali jogando baralho com mais três num canto.

“Já notou aquele ali?”

“Quem, Eve?”

“Aquele encostado na porta.”

“O que tem ele?”

“Parece com você. Fica sozinho, bebendo e observando tudo...”

Um rapaz entra correndo e esbarra em um dos que conversavam no meio da cabine.

- Ei! O que está fazendo, pirralho?!

- Desculpa, Uglu... Foi sem querer. É que o Phyha... - E aponta para fora, com a cara assustada.

- Ei, Uglu! - Breig, que estava encostado num canto lendo e bebendo, resolve intervir. - Vamos parar! Foi um acidente, ele já pediu desculpas.

- Acidente?! Acidente é eu dar um nó nas pernas desse moleque e jogá-lo no mar! Isso que seria um acidente!

- Gente! - Been deixa o jogo de baralho e vem ajudar. - O que é que há? É hora de diversão!

Um bárbaro bem grande chega, pega o rapaz pelo ombro e o conduz para fora da cabine, quase gentilmente. Pelo menos parecendo tentar ser gentil. Então volta encarando o Uglu.

- É todo mundo contra Uglu agora!? - Outro vem empurrando o bárbaro.

- Isso não tem nada a ver com você, Di.

- Tudo que diz respeito a meu irmão tem a ver comigo sim!

A porta do outro lado se abre e subindo a escada vêm o capitão Ched e Gwat, seu braço direito.

Ched olha rapidamente para cada um do recinto (e para as janelas, onde vê dois dos rapazes observando curiosos), enquanto Gwat pega um copo de bebida com o tripulante que estava apoiado no barril e caminha até o tal bardo da Diabo M, que está espalhado pelo chão num dos cantos.

- Já chega! Não quero confusão aqui! Vocês não são crianças!

- Ora, e quem te deu direito de falar conosco assim? - Uglu pergunta com desdém.

- Quando vocês resolverem agir como adultos, eu terei todo o prazer em tratar vocês como adultos. Até lá, se acostume. Eniu?

O bardo já está de pé, meio desajeitado enxugando do rosto a bebida que Gwat acabara de jogar.

- Fala, capitão...

- Toque algo que nos anime! Anda!

- Bora lá... - Ele cambaleia um pouco com seu tambor e começa.

“Essa é a Diabo M
Nossa frota em alto mar
É o barco mais ligeiro
Que você vai encontrar!

Nas mãos do capitão Ched
Nós iremos navegar
É o barco mais ligeiro
Que você vai encontrar!”

- Não esquenta. - Um cara magro vestido em um manto fino e escuro começa a puxar assunto com Zand. - É sempre assim mesmo. Uglu é muito esquentado e arruma confusão por qualquer coisa.

Zand não demonstra muito interesse na conversa e ele continua caminhando pela cabine com a bebida.

- “Foi lá nas praias de Azt
Que eu fiz essa cantiga”
 

“Desde quando Azt tem praia?”

“É, no meu tempo mesmo não tinha... Acho que esse sujeito bebeu um pouco e está trocando as bolas. Deve ser isso...”

- “Quem quiser ser mais ligeiro
Do que minha cantoria
Tem que treinar um bocado
Treinar de noite e de dia

Pois enquanto tem bebida
Eu me garanto no cantar
Enquanto tem bebida
Vamos todos festejar!

Essa é a Diabo M
Nossa frota em alto mar
É o barco mais ligeiro
Que você vai encontrar!

Nas mãos do capitão Ched
Nós iremos navegar
É o barco mais ligeiro
Que você vai encontrar!”

    Todos cantam junto essa parte, como um refrão. O capitão Ched bate palmas timidamente. Do outro lado, o tal sujeito que Eve notou continua lá. Quieto, bebendo e observando, ou só pensando na vida.

    - “Saímos de Ey Vudeon
    Por ordem do capitão
    Vamos nós dentro dos mares
    Em uma nova missão

    Jenofina que não veio
    Se ela estivesse aqui
    Faria tudo pra ver
    Eu cantar e eu sorrir

    Essa é a Diabo M
    Nossa frota em alto mar
    É o barco mais ligeiro
    Que você vai encontrar!

    Nas mãos do capitão Ched
    Nós iremos navegar
    É o barco mais ligeiro
    Que você vai encontrar!”

    Avalie: 
    No votes yet

    Comentar