22 abr 2012

Escarlate III #16 - Dueto e Estrada

Submitted by bardo

Escarlate III #16 - Dueto e Estrada

“Maldito Zand precipitado! E Eve precipitada! Esse povo de Wimow parece que nasceu de sete meses!”

Os cinco seguem em direção à capital de Noak, a maioria deles a contragosto. São Krid, Epowi e Tierby, três aliados de Viex, e Zand.

“Isso não faz o menor sentido, mas quem sabe repetimos a sorte que tivemos da outra vez... Não fosse exatamente o Zand... Um outro bardo, mas com ótimo treinamento de guerreiro, com uma armadura de escamas de dragão, uma lira divina feita pelo amor desse mesmo dragão e uma lança tão famosa. São ingredientes demais para uma batalha no mínimo inesquecível.”

- Viex?

- Fala, Zand.

- Consegue distrair os ladinos com Janliet?

- Não acho que eles caiam fácil nesses truques.

- E se eu ajudasse?

- Como?

- Tocando lira para preencher mais sua canção.

- Talvez funcione. Podemos tentar.

- Comece.

Tierby e Epowi se olham e dão de ombros, enquanto Viex toma sua flauta Janliet e começa a tocar uma melodia suave.

Zand dedilha a lira, fazendo um dueto com Viex. Uma lira e uma flauta.

Os três outros aventureiros se admiram da beleza do som. O som vai diminuindo, enquanto eles se olham, até que...

- Onde estão os dois!?

- Não acredito que nos deixaram aqui. -Krid protesta. - Eu queria ir também!

- O que você acha que aconteceu?

- Eles devem ter se teletransportado.

Os três param. Antes que a discussão prossiga, eles ouvem duas gargalhadas mais adiante. Olham e veem que são os dois bardos.

- Pelo menos sabemos que isso funciona.

- O que vocês fizeram? - Epowi pergunta intrigado.

- É uma canção, uma canção de bardos – Viex responde. - Ela afeta a mente de quem está por perto e faz com que não nos vejam.

- E nós?

- Podemos fazer com que o tema da canção alcance vocês também.

- Mas não podemos perder a concentração. - Zand completa. - Vocês adotarão um papel fundamental nessa empresa: não temos certeza de quantos ladinos serão afetados por esta canção, então vocês vão ter que ficar de olho e a postos para nos dar cobertura.

- De fato uma boa ideia. - Viex fala. - Assim, se virem alguém fora do efeito da canção, vocês dão cabo deles, mas lembrem-se que não podem se afastar muito de nós ou sairão do tema.

- Tudo bem.

Tudo devidamente planejado, o grupo segue apreensivo, quando Zand começa a tocar a Canção do Repouso. Todos notam facilmente seu efeito, que tranquiliza a mente e revigora o corpo, numa baixa intensidade.

Os planos terminam mudando um pouco: Krid arranca uma roda de carroça logo que entram na cidade. Seu objetivo é usá-la como escudo contra possíveis projéteis. E que pena os outros dois não terem força suficiente para fazerem o mesmo.

Eles caminham por uma rua quase deserta. Já é quase noite. Não é difícil ver pessoas caminhando sob o abrigo da escuridão, dentro de prédios, nos telhados, becos... E triste é pensar que esta é apenas uma fração do pessoal da Dessurdi que tomou a cidade.

Um dardo acerta Krid de repente, vindo de uma das casas. Ainda não chegaram ao castelo de Beniw e Krid pende do cavalo..

- Nos notaram. Acho que ele foi envenenado. - Tierby murmura enquanto Epowi se aproxima do caído companheiro e coloca a mão sobre sua cabeça.

Ele ora para os deuses por sua saúde e os deuses lhe atendem. Krid está bem novamente e a canção não para. Zand faz, com a cabeça, sinal para prosseguirem, enquanto Viex gesticula em uma direção. Os três voltam seus olhos para lá.

Um casal jovem encapuzado – cujos rostos não se consegue ver com clareza passa em uma rua transversal, a dois metros dos cavalos de Zand e Viex, que vão à frente.

O casal não os nota, mas pelo porte e pela forma como andam, não há que lhes negar a natureza de assassinos.

A entrada em Beniw continua e com ela vem a preocupação: não há mais interrupções. Alguém certamente os vira e tentara derrubá-los com dardo – ou era apenas um teste – e nenhuma ocorrência mais houve. A preocupação pode ser resumida em uma pergunta: por quê?

Depois de percorrer mais ruas da cidade, finalmente eles se encontram diante da escadaria que serve de entrada para o castelo. Também encontram a resposta para aquela pergunta.

O ladino que os vira certamente veio e anunciou sua chegada ao casal que comanda Noak agora e que está no topo da escadaria, rodeado por uma guarda de bandidos.

Um sujeito elegantemente vestido em manto colorido que não é estranho aos olhos de Zand. A seu lado está...

- Eve?

Avalie: 
No votes yet

Comentar