Jasmim #28 - A Escola

20 set 2008

Morte é tudo o que existe. O cheiro da morte. Corpos apodrecendo por toda a escola. Alguns deles ainda se movendo e atacando.

São lembranças recentes da escola. Mãos geladas. Uma segurara a mão onde Jasmim leva a morningstar. A outra, em seu pescoço. Logo Jasmim estava ali, a quinze metros do solo, sendo enforcada por outra figura feminina contra a parede já no ponto mais alto do prédio.

- Vocês são ousados demais. O que diabos vieram fazer aqui? Ou melhor, você é ousada. Aqueles dois lá não parecem grande coisa.

A mão ainda segura a morningstar, mesmo presa contra a parede. Olhos amarelados e hálito carregado, de carne e sangue. Ela sorri friamente encarando Jasmim que, mesmo sendo alvo de tanta dor, não desvia os olhos nem muda a expressão.

Dois disparos. Um deles atinge as costas da estranha, que mostra as presas caninas e solta Jasmim, mergulhando no pátio em busca de quem disparou.


 

- Que droga! Sabia que ia dar errado! - Aeze-Yo toca no dardo já posicionado em sua besta. Sorri.

Os dois estão protegidos por um balcão feito na própria parede, enquanto mortos-vivos se aproximam pouco a pouco. Há muitos corpos espalhados, derrubados por Jasmim quando ainda estava no chão.

Enquanto Aeze-Yo posiciona sua besta, Kao-Wi troca o rifle pelos dois revólveres de cano longo, que estavam já sobre o balcão.


 

Um tiro acerta o ombro, outro se perde. O dardo acerta o abdômen. Num ruído, a vampira arranha o balcão caindo do lado onde estavam os irmãos Ceix pouco depois de eles saltarem fora da proteção, cada um para um lado.

Jasmim desce suavemente usando o poder da armadura. De lá, pode ver bem a cena. De um lado, Aeze-Yo dispara seu revólver contra zumbis que estão prestes a encurralá-lo. Do outro, Kao-Wi já deixou os revólveres e saca duas armas brancas como pequenas foices sem curva. Mais zumbis estão vindo e devem chegar em dois minutos.

Jasmim saca a maça voadora e a lança contra os zumbis que encurralam Aeze-Yo. Segura com firmeza a morningstar enquanto espera seus pés finalmente tocarem o chão.

Ao chegar ao chão, Jasmim corre contra a vampira. No mesmo instante em que Kao-Wi vai ao chão ferido.

- Ainda está aqui?! - A vampira encara Jasmim com olhos furiosos. Sua roupa suja manchada por sangue escuro.

A garra com unhas negras e afiadas vem em direção a Jasmim, mas é aparada pela morningstar. Mais um golpe, e uma resposta. Na troca de golpes, Jasmim a atinge também.

- Sua vadia! Você é forte! Eu ia te dar vida eterna se você ficasse quieta. Mas você prefere se opor a mim, então vai sofrer as consequências.

Mais troca de golpes.

Aeze-Yo, do outro lado da arena, finalmente consegue fugir do cerco com a cobertura da maça de Jasmim. Corre em direção ao irmão caído.

- Wi!!!

Ele se abaixa próximo do irmão. Coloca a mão em seu coração e sorri: está apenas inconsciente. Arrasta-o para o balcão de antes. O balcão provavelmente feito para atendimento de cantina ou secretaria da escola. Não importa. Aeze-Yo volta e recupera as armas do Kao-Wi antes que mais zumbis cheguem àquele lugar.

Garras e aço trocam golpes. É Jasmim e a vampira ainda. A armadura cinza com penas azuis mostra vermelho pouco abaixo do seio esquerdo. A vampira também foi atingida algumas vezes. Elas continuam lutando.

Um giro rápido da morningstar. A vampira salta para trás em esquiva. Então salta descendo as garras contra Jasmim.

As mãos da vampira fecham, segurando a morningstar, que estava em posição de aparar.

- Vadia! Cansei de você!

Um movimento estranho e Jasmim se vê de novo no ar. Dessa vez arremessada com força, para cima. Num comando mental, aciona a armadura. Ela não reage. Passa por cima do prédio. "Quanta força..." Não quer pensar na ferida, apenas no chão. Passa o prédio e começa a cair, do lado de fora. A armadura simplesmente não quer levitar...

Avalie: 
No votes yet

Comentar