1 nov 2008

Jasmim #34 - Caminho de Volta

Submitted by bardo

A sensação de alívio e segurança não vem tão completa e Jasmim observa o estranho espadachim ir embora. Um braço cansado se apoia em seu ombro. Ela se vira para ver como está... Um beijo. Um beijo suave e Azawagh olha em seus olhos surpresos.

- Jasmim é uma flor mágica. Dizem que quem faz um desejo de amor sentindo o aroma de jasmim sempre será atendido.

Envolvendo seu corpo com firmeza e carinho, mais um beijo. Um beijo mais intenso, ardente. Os dois bastante feridos e Jasmim ainda surpresa fecha os olhos e também abraça Azawagh.


 

A porta se abre e Jasmim entra na casa onde estão pai e filhas de pé impacientes. No canto da sala os irmãos Ceix dormem.

- Ai! Que é que há!? - Aeze-Yo acaba de receber um chute de Jasmim.

- Vamos logo.

Não demora e logo vão os quatro pelo caminho de volta, conduzindo os três sobreviventes que encontraram. Os três ajudando Aeze-Yo e Kao-Wi. Jasmim e Azawagh vão à frente, expondo-se ao que quer que possa aparecer.

- Ai, Wi, acho que não vou aguentar... Nunca levei uma surra dessas...

- Yo, deixa de frescura. A gente já está indo embora. Além o mais, todo mundo está ferido. Já viu os dois? Jasmim? O que houve? Vocês não estavam tão machucados antes...

- Não importa. Está tudo sob controle. Vamos embora daqui.

- É, Wi, acho que a gente perdeu alguma coisa.

- Vocês estavam dormindo.

- Bem lembrado, menina. Seria ótimo dormir mais. Pelo menos uns cinco dias. A propósito, qual o seu nome, minha linda?

- Leyla.

- Prazer, Kao-Wi. Não precisa se preocupar. Não tratamos vocês como moeda. Não vamos aceitar vocês como pagamento como seu pai propôs. Se depender de nós, vocês serão livres para fazerem o que quiserem da vida.

- É isso aí! Leyla é um nome bonito, hein! E sua irmã?

- Se chama Ayse. Não é de falar muito.

- Como é que é? Ayse?!

- Sim.

- Mas é meu nome!

- Seu nome não é Yo?

- Não, é Aeze-Yo. Que droga! É por isso que aquele povo na rodoviária ficou rindo de mim! Esse nome por aqui é nome de mulher. Que droga!

- É, Yo! Vivendo e aprendendo... Meu irmão é uma menina e eu nem sabia...

- Ah, cala a boca! Vamos embora daqui. Não quero saber mais dessa porcaria de país!

Na frente, Jasmim repassa sua história. Incidentes, deduções e suspeitas. Por que a vida não é mais simples? Do seu lado, Azawagh lhe sorri e ela não sabe como reagir. Não sabe o que sente exatamente e se concentra nas ruas por onde passam.

- Parece que eles fizeram as pazes.

- Será, Wi?

- Claro! Quem diria, hein irmão?

- O quê? Que eles...

- Não, nós... Esta cidade vai ficar na história. Não é todo dia que se conhece lutadores assim, e que se enfrenta uma vampira e sai vivo. Tudo bem que estamos um bagaço, mas...

- Vocês enfrentaram uma vampira? - Leyla pergunta surpresa.

- Claro, menina! - É Aeze-Yo quem responde. - E demos cabo dela, é claro! Somos uma ótima equipe! Por isso nem se preocupe que conosco vocês estão seguros. E eu não vou deixar nada acontecer com você.

Kao-Wi e Jasmim armam o mesmo sorriso irônico. Kao-Wi ao ver o exibicionismo do irmão mais uma vez em ação. Jasmim ao perceber como se orgulham da vitória contra a vampira, com a qual contribuíram bem pouco. E pensa no quanto deveria estar orgulhosa por ter encarado até mesmo duas vampiras ao mesmo tempo. Sorri e vê Azawagh ao seu lado. Sim, formam uma boa equipe. E ela começa a se dar conta de que, independente das suspeitas que formulou, está gostando dele.

Avalie: 
No votes yet

Comentar