Jasmim #45 - Mais Miniaturas

"Na verdade são oito. Mais um viking como o de antes, mais três homens-lagarto; dois samurais; um soldado grego e um gárgula. Todos distribuídos numa área de pelo menos sessenta metros quadrados. Golpeá-los ao léu não é uma boa. Vou focar primeiro os que são cópia única, a começar pelo viking."

Jasmim dispara rapidamente tendo como único alvo o viking. Dois homens-lagartos, que estão mais perto, a atacam. Um deles acerta sua armadura, o outro erra o golpe. O viking consegue desviar do golpe, mas o soldado grego e um dos samurais tentam em vão golpeá-la.

- Isso está ficando chato. - Ela faz a curva para a esquerda em direção ao viking.

Num giro da morningstar, Jasmim consegue o que queria. A miniatura gira até o chão, o corpo separado da cabeça. Prontamente, se desvia então dos três ataques que vinham: o soldado grego, um homem-lagarto e um samurai.

- Agora é o grego. Não...

Jasmim mergulha por baixo das estátuas. "Aqui eles me encurralaram..." Os dois homens-lagartos, porém, a acertam. Nada que machuque, mas por pouco Jasmim não perde o equilíbrio. "Ali está."

Com fúria, ela sobe e atinge com a morningstar o gárgula. Ele explode em pedaços de pedra e poeira.

Rapidamente percebe que quatro dos restantes estão vindo. Dois homens-lagartos no centro, um samurai pela direita e o soldado grego pela esquerda. Jasmim se desvia dos golpes dos três que não lhe interessam no momento e ataca o soldado, passando por cima dele. Ele desvia.

Agora é o outro homem-lagarto e o outro samurai que se aproximam. Sendo atingida pelo homem-lagarto e mais uma vez não sofrendo nada com o golpe, Jasmim ataca o samurai que vinha contra ela. Atingido, ele gira no ar e cai no chão. Um de seus braços de pedra ainda se mexe como um brinquedo a pilha. Estica e volta. Mas é o único sinal de movimento.

"Ótimo! Agora tenho dois únicos!"

Os mesmos quatro de antes vêm voando lado a lado e Jasmim tenta aplicar a mesma estratégia de antes. Desviar dos três que não importam no momento e acertar o soldado grego. Desta vez, consegue cumprir com seu objetivo com perfeição e o soldado grego se torna um a menos.

"Ótimo, agora só faltam quatro. Se eu soubesse que todos seriam derrotados com um só golpe não tinha me preocupado tanto em atacar só os únicos..."

Três homens-lagarto e um samurai a cercam e atacam. Dois homens-lagarto a acertam e ela sente o impacto do golpe do primeiro.

A bola de aço com pontas atinge a cabeça do samurai, enterrando-a dentro do próprio pescoço e arremessando-o no chão.

"Agora são só os homens-lagartos..." Era natural deixá-los para o fim. Não só pela impressão de serem mais perigosos como também por, mesmo com esses novos tipos que apareceram, esses homens-lagartos continuarem sendo as miniaturas mais trabalhadas por quem quer que os tenha feito. Mas ficarem por último não quer dizer que estejam "dispensados".

Jasmim os conduz numa espécie de dança em que os quatro vão percorrendo a sala, os quatro próximos um do outro e girando como uma ciranda. Trocando golpes.

Na segunda tentativa um deles acerta Jasmim. E é somente no quarto golpe de Jasmim que temos um homem-lagarto a menos. E logo em seguida, ela acerta o segundo. E então o último deles.

Para a surpresa de Jasmim, no instante em que destrói a última miniatura de homem-lagarto, a penúltima a acompanha e tenta acertá-la.

- Sabia que não iam me decepcionar. Se um de vocês tivesse que aguentar um golpe, tinha que ser um réptil.

Ela sorri e golpeia a miniatura de lado, destruindo-a de uma vez. E voa para a sala à esquerda, onde está a orbe.

Avalie: 
No votes yet

Comentar