O Revolucionário Wii U

Desde que a Nintendo entrou no universo dos jogos eletrônicos, tornou-se um sucesso. Ultimamente, mesmo tendo perdido muito espaço para concorrentes, continua sendo referência.

A Nintendo que instituiu o padrão de joystick com botões de ação como hoje conhecemos:

  • quatro do lado direito (Y, X, B, A); que no Playstation viraram (quadrado, triângulo, X, círculo) e que a Microsoft simplesmente mudou a ordem pra confundir todo mundo (X, Y, A, B).
  • botões de gatilho. Inicialmente o L e R. Depois foi acrescido o Z. A Sony adotou os mesmos L e R e depois expandiu para L1, L2, R1 e R2. A Microsoft também tem os seus, mas não faço ideia de como os chama.

A Nintendo introduziu o efeito "Rumble" no Nintendo 64. Aquele efeito de fazer o controle vibrar, que hoje é padrão de indústria.

Quando o Wii apareceu com seu controle baseado em movimentos, muitos podem ter torcido o nariz, mas logo a Sony apareceu com uma "alternativa" (o pirulito azul que atende pelo nome de Move Motion) e provavelmente foi o estímulo para a Microsoft lançar o seu Kinect.

A Nintendo foi a primeira a se importar com visual tridimensional de fato. O seu Virtual Boy foi a primeira tentativa. Lançado em 1995, foi um fracasso. Ano passado, porém, veio o 3DS, que além de exibir gráficos em 3D real dispensa o uso de óculos especiais, conseguindo mandar imagens diferentes para os dois olhos, de modo a se construir a visão 3D. Isso, somando-se às características do portátil anterior (o Nintendo DS), como o uso de duas telas, sendo uma sensível ao toque; e somando-se novos recursos, como o acelerômetro e sensor de gravidade, bem como o excelente poder de processamento, capaz de colocar o 3DS no páreo, para algumas aplicações, até mesmo dos consoles de mesa da geração atual.

A Nintendo foi quem começou a investir em jogos tridimensionais, ainda no Nintendo 64. Quando todos estavam no mundo tridimensional e ninguém acreditava mais no mundo 2D, foi a Nintendo que trouxe o Mario de volta às duas dimensões, desencadeando uma onda de novos jogos 2D.

Entre as franquias de videogame mais vendidas do mundo, o destaque da Nintendo é inquestionável, bem como o carisma de seus personagens. Quem nunca ouviu falar de Mario, Zelda e Pikachu?

Entre os jogos que conseguiram nota máxima na Famitsu, quase metade são da Nintendo.

Dito tudo isto, vamos falar do console que a Nintendo lança este ano e que apresentou esta semana no E3: o Wii U.

Primeiro, alegaram que ele teria baixo poder de processamento. Isso é falso. Não sei como será em comparação ao Playstation 4 e ao XBox 720, já que os dois estão ainda longe de serem lançados, mas com certeza é mais poderoso que os atuais, iniciando mesmo a nova geração de consoles. Mas, como é comum em se tratando da Nintendo, isso nem é o que chama mais atenção.

Revolucionando mais uma vez o mercado, ela apresenta um console que traz como principal forma de interação uma fusão de joystick e tablet: o Wii U Gamepad. Ele traz uma tela sensível ao toque, além de acelerômetro, giroscópio, rumble, câmera, autofalantes, microfone... Além de dois direcionais analógicos e um digital, os clássicos botões Y, X, B e A; e os botões L e R acompanhado de ZL e ZR.

Com tantos recursos, cabe apenas aos fabricantes de jogos usarem sua criatividade para explorarem isso bem. Os portáteis da Nintendo e o próprio anterior - Wii - já demonstraram que dá pra fazer muitas formas bacanas de interação, basta ser criativo. A propósito, os wii motions (controles do Wii) são perfeitamente compatíveis com o novo console, funcionando inclusive em conjunto com o novo gamepad. Além disso a Nintendo oferecer um joystick opcional para jogos no estilo tradicional.

O Wii U Gamepad pode ser utilizado para mostrar o mapa enquanto vemos a ação acontecendo na TV; pode mostrar os itens que encontramos no caminho, nos permitindo ativá-los de forma simples e intuitiva... São muitos usos, inspirados nos usos que já fizeram das duas telas do DS e do 3DS. Mas essas telas agora não estão fisicamente acopladas! O gamepad pode ser usado para mostrar mais do cenário, como uma janela para o mundo do jogo, uma janela que podemos posicionar onde quisermos. E muitos outros usos, alguns ainda nem descobertos. Quem sabe até incluindo Realidade Aumentada?

Por exemplo, não sei o quanto isso me interessaria diretamente (provavelmente muito pouco), mas achei genial a ideia de um karaoke onde a letra aparece na tela do gamepad, permitindo que a turma fique mais junto, que a pessoa que está cantando fique de frente pros amigos. Esse jogo foi demonstrado também e será lançado.

Por falar nesse tipo de proximidade, a proposta da Nintendo com o Wii U é justamente esta: tornar as pessoas mais próximas. E se analisarmos bem, parece mesmo que a Nintendo sempre se importou com a socialização do gamer. Vejam a época dos 8 e 16 bits: era bem mais comum encontrarmos jogos para dois jogadores do que nos concorrentes. O Nintendo 64 trazia quatro saídas para joystick! E o Mario Party, que já vai na nona edição?

A Nintendo quer juntar todos os consoles daqui por diante (3DS, Wii U e posteriores) em uma única rede. Nela poderemos nos comunicar com outros jogadores em salas de chat, em video-conferência... Diretamente como contatos ou em salas por jogo, filtradas por idioma. Isso tudo de maneira simples e intuitiva. Imagine poder conversar a respeito de uma fase difícil de um jogo simplesmente pausando e acessando o chat pelo próprio controle, caindo já na sala apropriada, onde pode tirar dúivdas e fazer novas amizades!

Sinceramente, eu gostei do que vi e espero ter meu próprio Wii U (provavelmente muito depois do lançamento). Eu falei do Wii aqui no blog em 2007 e só no ano passado adquiri um, e digo: não me decepcionou.

Alguns focos de imprensa por aí estão criticando a Nintendo e seu projeto. Claro, sempre fazem isso. Criticaram, por exemplo, o 3DS ano passado, e ele está aí, firme e forte.

Sabe o que é engraçado? Quando vi que a Nintendo pretendia colocar uma tela sensível no joystick, ha mais de ano, pensei comigo mesmo: a Sony usa plataforma Android no seu Xperia Play, e se eles criarem uma integração entre "androids" e o seu Playstation mais novo? Pois é, dito e feito. A Sony e a Microsoft já anunciaram que vão criar integração entre seus consoles futuros e tablets.

Então eu pergunto: se a Nintendo é tão ruim assim e se essa ideia é tão fraca, por que os concorrentes se apressaram em criar uma gambiarra (como aconteceu com o Wii) em resposta? Por que eles tem medo?

Special: 
Avalie: 
Average: 4 (1 vote)

Comentar