O Silmarillion, de J. R. R. Tolkien

10 mai 2012

O Silmarillion - Capa do livro

Para quem gosta do gênero de ficção conhecido como Fantasia Medieval, O Senhor dos Anéis é uma obra indispensável.

Ao tomar como base elementos do folclore regional, detalhando povos e seres, criando todo um novo mundo, J. R. R. Tolkien terminou escreveu essa maravilhosa obra, que é inegável influência para diversas histórias de hoje em dia. Histórias de cavaleiros, dragões, magia, espadas, monstros, princesas... Apesar de a obra de Tolkien não trazer todos esses elementos, toda a essência da Fantasia Medieval vem de lá.

Quem gosta de RPGs como Dungeons & Dragons e Tormenta; jogos como The Legend of Zelda, Final Fantasy e The Elder Scrolls; e até mesmo de jogos de estratégia, muito deve, direta ou indiretamente, a esse grande autor.  Escarlate não estaria de fora.

A saga do Senhor dos Anéis já é conhecida, tendo inclusive ótimos filmes a seu respeito. O Hobbit - história que antecedeu a saga em torno do Um Anel - não é tão conhecido, mas logo mais terá seu filme lançado.

Acontece que todos esses livros foram escritos e organizados por Tolkien, narrando aventuras. Em Silmarillion a coisa muda bastante. Primeiro que não existia o livro "O Silmarillion". O que existia era um conjunto de diversas histórias relacionadas à Terra Média, agrupados pelo filho de Tolkien em uma obra que nos apresenta melhor esse mundo fantástico. Se a Terra Média existisse, o Silmarillion não seria um Romance ou Novela, mas um livro de História.

Nele podemos ver desde a criação do mundo por Ilúvatar até eventos mais recentes. Nele temos resposta para perguntas e curiosidades como: por que os reis da linhagem de Isildur vivem tanto mais do que outros humanos? Como surgiram os humanos? Quem exatamente é Sauron? Como foram criados os anéis? Quem são os magos, que são tratados como uma espécie à parte das existentes? (esta última era uma curiosidade antiga minha. O livro parece não trazer resposta, mas não desista: quando vai se aproximando do final isso também é revelado). E várias outras perguntas além destas são respondidas.

Claro, tem o lado ruim: se você acha monótona a narrativa de Tolkien, quando ele para a história para entrar na Geografia, talvez não deva ler O Silmarillion. Se, por outro lado, você não se incomoda com isso, é mestre RPG, autor de Fantasia Medieval ou simplesmente adorou a história toda do Senhor dos Anéis, nem pense duas vezes antes de descolar o seu exemplar!

Special: 
Avalie: 
Average: 4 (1 vote)

Comentar